Sobre reciclagem

O planeta Terra nos oferece todas as matérias-primas de que precisamos. Precisamos ter cuidado com esses materiais, pois eles não são infinitas. A natureza nos mostra como os ciclos perfeitos funcionam. Nenhum material valioso se transforma em nada, os recursos existentes sempre são usados para algo novo.

Fechamos o ciclo para que as embalagens usadas se tornem novas embalagens.

Plásticos usados são materiais

As embalagens usadas são tudo menos resíduos inúteis. Pelo contrário: para nós, são uma matéria-prima valiosa que processamos em materiais reciclados de alta qualidade usando tecnologias de ponta. Novas embalagens são criadas a partir desses reciclados no sentido de uma economia circular funcional.

Essa é nossa “abordagem de ciclo fechado”.

Conhecimento concentrado

As instalações de reciclagem e produção sob a égide do ALPLA Group se beneficiam mutuamente de seus muitos anos de experiência. As empresas de processamento de plásticos sabem exatamente o que é importante ao transformar materiais reciclados em novas soluções de embalagem. Os especialistas em desenvolvimento de produtos e tecnologia de processos trabalham lado a lado com os especialistas em reciclagem – juntos, estão constantemente desenvolvendo materiais e processos de fabricação.

Por que reciclar faz sentido

A reciclagem agrega valor aos plásticos usados. Isso promove a coleta eficiente de materiais recicláveis, permite que os ciclos regionais de materiais sejam fechados e apoia o desenvolvimento contínuo de tecnologias de reciclagem sustentáveis.

Afinal, os plásticos podem ser reciclados muito bem e de maneira eficiente em termos de energia. Em comparação com os materiais virgens, os materiais reciclados causam até 90% menos emissões de gases de efeito estufa. Além disso, quanto mais materiais recicláveis forem reciclados, menos resíduos acabarão indo parar em aterros sanitários ou no meio ambiente.

Sendo assim, a reciclagem é um componente elementar de uma economia circular funcional.

Marcos

A ALPLA começou a reciclar com a primeira garrafa de reciclagem pós-consumo (PCR) em 1990. Outros marcos foram:

2005

A ALPLA torna-se parceira de joint venture na reciclagem de PET da IMER, México

2005

Fundação da PET Recycling Team GmbH em Wöllersdorf, Áustria

2010-2012

A ALPLA adquire a PET Recycling Team em Wöllersdorf, Áustria

2010-2012

Construção da fábrica da ALPLA PET Recycling Team em Radomsko, Polônia

2018

Como parceira da Ellen MacArthur Foundation, a ALPLA tem como objetivo atingir 100% de embalagens recicláveis e 25% de conteúdo reciclado, em média, até 2025 e investir cerca de 50 milhões de euros na expansão de suas atividades de reciclagem no mundo todo.

2019

Fundação da PRT Wolfen na Alemanha, uma joint-venture com o Grupo FROMM.

2019

Aquisição da recicladora de HDPE Suminco e Replacal, na Espanha

2020

A ALPLA apresenta um processo de reciclagem de PET otimizado para o clima, graças à conversão do processo de reciclagem em eletricidade verde e à compensação das emissões restantes e inevitáveis por meio de certificados de CO2, juntamente com os clientes da ALPLA.

2021

A ALPLA investe na construção de uma fábrica de reciclagem de PET em Targu Mures, na Romênia, como parte de uma joint-venture com a Ecohelp e a UPT.

2021

Aquisição da BTB PET-Recycling, com sede em Bad Salzulfen, na Alemanha. A empresa processa garrafas PET usadas e as transforma em material de reciclagem.

2021

Inauguração de uma nova planta de reciclagem de HDPE em Toluca, México. Anúncio simultâneo da duplicação da capacidade de reciclagem a partir do segundo semestre de 2022.

2021

Aumento da meta de investimento em reciclagem para 50 milhões de euros por ano como parte do Compromisso Global da Nova Economia do Plástico.

2022

Assentamento da pedra fundamental para a construção da nova planta de reciclagem de PET, PLANETA, em Cunduacán, México. O projeto é viabilizado por uma joint-venture entre a ALPLA e a Coca-Cola FEMSA.

2022

Aquisição da empresa de reciclagem Texplast do Grupo FROMM e de todas as ações da joint-venture PET Recycling Team Wolfen. Aumento significativo no volume de processamento anual na Alemanha.

2022

Início das operações da planta de reciclagem Envicco para PET e HDPE em Rayong, Tailândia, em cooperação com a PPT Global Chemical.

2023

Início da produção da planta moderna de reciclagem de PET em Targu Mures, na Romênia, como parte de uma joint-venture com a Ecohelp e a UPT. A capacidade anual é de 18 mil toneladas de rPET

2023

Até 87% de CO2: um novo cálculo da pegada de carbono do produto confirma o efeito de proteção climática dos plásticos reciclados.

2023

A ALPLA reúne todas as atividades de reciclagem sob a nova marca ALPLArecycling.

2024

Nova fábrica de reciclagem "Planeta" no México: Depois que a pedra fundamental foi lançada em 2022 e 2023, a aprovação de todas as linhas e o aumento da produção ocorrerão em 2024.

2024

A nova fábrica de reciclagem em Ballito, na África do Sul, está atualmente em construção. As primeiras máquinas serão instaladas em um futuro próximo, com o objetivo de iniciar a produção em 2024.

Perguntas e respostas

Quantas embalagens usadas são realmente recicladas?

Isso depende, sobretudo, da capacidade de reciclagem da embalagem e da infraestrutura de coleta existente no respectivo país. De acordo com dados da União Europeia, em 2020 cerca de 46% de todas as embalagens plásticas foram recicladas na Europa, em comparação com apenas 24% em 2005. O mais importante, contudo, é que o material reciclado também seja reutilizado para embalagens. Segundo a Ellen MacArthur Foundation, o uso global de material reciclado aumentou em cerca de 108% entre 2018 e 2021, de 4,8% para 10%. Isso pode não parecer muito à primeira vista, mas é necessário ter em mente que essa quantidade é mantida no ciclo de embalagens de altíssima qualidade. Com isso, é possível economizar milhares de toneladas de material novo todos os anos. Os plásticos usados são, assim, um excelente material reciclável que deve ser separado e reciclado de forma ainda mais consistente. A ALPLA apoia essa meta no mundo todo com suas próprias plantas de reciclagem e cooperações.

Por que nem todas as embalagens usadas podem ser recicladas? Como isso pode ser melhorado/mudado?

Na ALPLA, aplicamos os princípios do “Design for Recycling” (Design para Reciclagem) ao desenvolver novas embalagens. Logo desde o início do ciclo de vida, os especialistas da ALPLA garantem que as embalagens plásticas sejam as mais adequadas o possível para reciclagem. As embalagens feitas de materiais compostos ou filmes de várias camadas são, muitas vezes, problemáticas. Elas só podem ser recicladas com muito esforço. Já encontramos uma resposta para esse problema e desenvolvemos uma embalagem de recarga tipo bolsa, feita de HDPE, que é 100% reciclável.

A ALPLA só usa materiais recicláveis ou também usa plásticos que não podem ser reciclados?

O objetivo da ALPLA é que todas as embalagens sejam cem por cento recicláveis até 2025. Os tipos de plástico usados – predominantemente PET (56%)* e HDPE (39%)*, com quantidades muito menores de PP e LDPE – em geral são muito fáceis de reciclar. Entretanto, há potencial para melhorias em algumas áreas: por exemplo, quando a garrafa e a tampa são feitas de diferentes materiais ou aditivos, que podem prejudicar a qualidade dos recicláveis. Com o consistente “Design for Recycling”, as soluções de embalagem da ALPLA serão ainda mais otimizadas nesse aspecto nos próximos anos. 

[*Números a partir de 2022, participação no consumo total de material] 

O que a reciclagem de plásticos traz para o meio ambiente? Vale mesmo a pena?

A reciclagem fecha o ciclo e evita que embalagens usadas acabem indo parar no meio ambiente. Novas embalagens podem ser produzidas novamente com os materiais reciclados. Desse modo, tanto os recursos fósseis quanto os renováveis, como o material básico para plásticos, são conservados. Além disso, a reciclagem contribui significativamente para a proteção do clima. Os plásticos reciclados causam até 90% menos emissões de gases do efeito estufa do que os materiais virgens.

Por que tantos resíduos plásticos são incinerados?

Os resíduos plásticos só devem ser incinerados se nem a reciclagem mecânica nem a química forem viáveis em termos ecológicos e econômicos. Nesse caso, a reciclagem térmica dos resíduos é melhor do que o aterro. Pelo menos a energia térmica dos plásticos é usada sob a forma de calor. O aterro sanitário deve ser totalmente evitado. No entanto, as taxas de reciclagem estão aumentando continuamente devido à expansão mundial das plantas de reciclagem e à melhoria crescente das tecnologias de triagem e reciclagem.

Os plásticos reciclados são seguros ou representam um risco à saúde?

Apenas materiais aprovados para esse fim podem ser usados na produção de embalagens. Regulamentos muito rigorosos são aplicados às embalagens de alimentos e bebidas em particular, e, obviamente, isso também se aplica aos materiais de reciclagem. A qualidade é inspecionada regularmente pela ALPLA e por parceiros externos.

Por que as embalagens de plástico reciclado são mais ambientalmente corretas?

Estudos científicos mostram que embalagens com uma alta proporção de plásticos reciclados têm um impacto ambiental menor porque a produção dos materiais reciclados causa menos emissões de gases de efeito estufa do que a fabricação de materiais virgens. Isso tem um efeito muito positivo sobre o equilíbrio ecológico das embalagens com alto conteúdo reciclado.

Por que nem todas as embalagens podem ser 100% produzidas a partir de plásticos reciclados?

Já existe uma embalagem, para água mineral ou até mesmo detergentes, por exemplo, que é 100% feita de plástico reciclado. Entretanto, as taxas de reciclagem ainda não são altas o suficiente para suprir toda a necessidade de material para a produção de embalagens. A proporção de material reciclado em embalagens continuará aumentando, não menos devido à legislação correspondente. Contudo, uma certa quantidade de material virgem ainda será necessária no futuro.

O que significa PCR?

PCR é a abreviação de Post-Consumer Recycled (reciclado pós-consumo). Na ALPLA, reciclagem significa recuperação de material após o uso. E, com o termo pós-consumo, queremos dizer embalagens que são descartadas pelos consumidores finais (residências), coletadas e pré-classificadas por empresas de descarte. A embalagem é então prensada em fardos de acordo com as especificações de reciclagem, transportada para as recicladoras e reciclada em granulado de rPET e rHDPE – sempre com as propriedades descritas em nossas folhas de dados. Portanto, o PCR é diferente do PIR (Post Industrial Recycled, Reciclado Pós-Industrial).

Qual é a diferença entre reciclagem mecânica e química?

Na reciclagem mecânica, o material é transformado fisicamente. Nesse caso, o polímero mantém sua estrutura durante todo o processo de reciclagem.

Na reciclagem química, o material é transformado em um nível químico. Os polímeros, por exemplo, são decompostos novamente em seus componentes de monômeros e, em seguida, remontados.

Para nós da ALPLA, a reciclagem significa principalmente a reciclagem mecânica de garrafa para garrafa.

O que significa hierarquia de resíduos?

A hierarquia de resíduos especifica uma ordem de prioridade em seu tratamento. A primeira prioridade é a prevenção de resíduos, seguida pela reutilização ou preparação de resíduos, por exemplo, por meio de limpeza ou reparo. O próximo estágio envolve a reciclagem, seguida por outras formas de aproveitamento, como a incineração. Por fim, vem o aterro sanitário de resíduos, que deve ser sempre evitado na melhor das hipóteses.

Qual é a diferença entre Design for Recycling (Design para Reciclagem) e Design from Recycling (Design a partir da Reciclagem)?

Design é um termo amplo que não é usado apenas na arte, arquitetura ou moda. Também na ALPLA, o design de embalagens atende a uma ampla variedade de finalidades importantes, como informação, proteção e praticidade, além de aspectos sustentáveis, como reciclabilidade, reutilização ou leveza. Nosso objetivo é projetar a embalagem de modo que ela seja reciclável de acordo com o princípio bottle-to-bottle (garrafa à garrafa) e possa ser feita de material reciclado da maneira mais econômica e ecológica possível. Isso é chamado de “Design from Recycling”. De modo geral, estamos seguindo o conceito de “Design for Circularity” (Design para Circularidade).